segunda-feira, setembro 29, 2008

I Wish They All Could be California Girls...


Lá se vai praticamente um mês a que estou em minha temporada americana de competições.


É impressionante como já passei por vários momentos por aqui, e ao contrario do que muitas pessoas podem pensar, estar aqui fora encarando os melhores atletas do mundo em treinos e competições não é exatamente uma moleza (mesmo estando na Califórnia!). Tive bons e maus momentos, alternados nas provas de Los Angeles, Malibu e Long Beach.


Na primeira delas (Los Angeles) tive uma boa atuação, mas abaixo do meu esperado. O longo vôo (com muita turbulência) e o fuso foram decisivos na minha adaptação ate a prova e senti muito esses fatores. Confesso que sai de Los Angeles um pouco triste por saber que eu podia ter ido melhor.


Foi nesse momento que comecei a pensar em meu pai e conversar com ele por pensamento. Essa hora eu estava almoçando e me preparando para voltar a San Diego, agora minha e da Claudia ate dezembro. Lembrei muito de como ele me apoiava nos momentos difíceis, quando tive que encarar grandes desafios na minha vida... Eu estava me perguntando como poderia me reerguer tendo mais duas provas contra os melhores do mundo nas semanas seguintes. Nesse momento, na musica ambiente do restaurante escutei os primeiros acordes: Ton, tan, ta, nan, ta nan tan tan tan e a primeira frase de uma musica: “Well east coast girls are hip ,I really dig those styles they wear...”. Nesta hora não agüentei: Comecei a chorar. Não lembrava muito bem dessa musica, mas na hora recordei de quando eu estava na faixa dos 13 anos e meu pai me buscava em minhas aulas particulares para me recuperar das baixas notas que eu tinha em matemática. Certo dia sai de lá preocupado com minha próxima prova (a que iria decidir se eu era aprovado ou não). Entrei no carro desesperado porque sai da aula ainda com duvidas. Meu pai conseguiu me desmontar: sorriu pra mim e disse para eu confiar mais em mim. Ele disse que havia me criado para ser um verdadeiro homem. E para isso eu deveria levantar a cabeça a cada desafio que aparecesse. Depois disso, aumentou o som do carro e começou a ouvir em alto volume a sua musica preferida dos Beach Boys: California Girls...


Eu sempre lembrei meu pai quando escutei Beach Boys. Ouvi ele cantando as musicas desde sempre, principalmente essa. Quis Deus que meu ultimo presente a ele fosse um CD com todos os sucessos dos Beach Boys, que eu trouxe no ano passado da California. Assim também o destino fez com que quando eu conversasse com ele na ultima prova de triathlon que ele compareceu, em Santos, ele estivesse justamente com esse CD em suas mãos.


Hoje estou aqui encarando o maior desafio de minha vida: morando fora de meu pais, longe de meu porto seguro, encarando as maiores feras do esporte. E como meu pai me ensinou, não sendo apenas um coadjuvante, mas um homem que esta pronto para vencer qualquer desafio e apenas aceitar a derrota como uma fase de crescimento.



Quis Deus que meu pai fosse para seu lado há quase um ano e me deixasse um vazio tremendo daquela coragem tão gostosa que ele me passava. Assim Ele também não me abandonou e me trouxe não por acaso para a Terra dos Beach Boys. Hoje acordo todos os dias cedo, me levanto para treinar com muita vontade e tenho a honra de poder ligar o radio e também não por acaso escutar meu pai falando comigo... Através dos acordes inesquecíveis da banda que fez historia por aqui e na minha relação de amor, carinho, respeito e admiração pelo meu pai, meu eterno técnico e herói...



3 comentários:

Mr.Wall disse...

cool blog

mika disse...

your blog and photos are so nice

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado